Resultado da Busca

Quais os cuidados na hora de fazer reparos nas rodas do seu veículo?

Você está dirigindo e vê um carro com as “rodas dançando” à sua frente. Já imagina o perigo tanto para o veículo com as rodas desalinhadas quanto para os demais motoristas, como você, que estão a trafegar na via.

Essa é uma das situações que podem ocorrer quando a manutenção das rodas dos veículos não é feita corretamente. No caso citado, o problema é a falta de alinhamento e balanceamento.

Há, no entanto, diversos outros potenciais problemas na roda do veículo causados por ruas esburacadas, descuidos na hora de estacionar ou da famosa baliza ou mesmo acidentes, que resultam em amassados ou empenados.

Por isso, o #ConselhoSompo aborda os cuidados com os reparos das rodas do veículo no post de hoje. Prevenção e segurança na direção estão sempre em nosso foco, como você também pode acompanhar aqui e aqui.

Como decidir entre o reparo ou a substituição das rodas?

Quando acontece algo com a roda do carro, a ação imediata é pensar no reparo. Até porque o ajuste costuma ser rápido, de 2 a 3 dias, e o custo é 30% menor em relação ao valor que seria gasto com substituição por novos jogos de rodas.

A recomendação dos especialistas, no entanto, é de avaliar a necessidade de troca ou reparo, a partir da gravidade do problema e do custo-benefício.

Para isso, vá até uma oficina especializada nesse serviço, onde o seu caso será analisado considerando os efeitos do reparo para a sua segurança.

Há situações, como quando as rodas têm os seus raios trincados, que o ideal é a substituição imediata. Isso porque um dano desse tipo compromete a estrutura e a segurança do veículo.

O mesmo é recomendado para casos com rodas de aço. Se os danos são elevados, o caminho é a aquisição de uma roda nova. Embora sejam mais fáceis de consertar e possuam um acabamento mais simples, essas peças são mais baratas e, por isso, não compensam o reparo.

Rodas trincadas

Quando as rodas sofrem com esse tipo de dano, a recomendação das fábricas e também das montadoras é pela substituição. Nesse estágio, elas oferecem muitos riscos, assim como as rodas amassadas.

Os riscos ficam maiores ainda quando alguns motoristas optam por fazer o reparo e ainda encaminham as rodas para a retífica, que deixa a peça como se fosse nova. Ou seja, os problemas poderão ficar escondidos, maquiados.

Enquanto isso, essas rodas trincadas reparadas podem causar danos na suspensão do veículo e nos freios. E, a depender da calibragem dos pneus, gerar problemas em relação ao alinhamento do veículo.

Um último e importante elemento a analisar é a trepidação ao volante. Se isso começar a ocorrer, é hora de ir à oficina especializada e checar se há algum problema na parte interna da roda.

Por todo esse potencial de problemas, é sempre bom ficar atento.

Compartilhe:

Para mais informações, navegue pelas editorias ao lado.