Mulheres Que Fizeram História na Ciência

Albert Einstein, Isaac Newton, Charles Darwin, Stephen Hawking. É fácil listar os nomes de cientistas famosos que marcaram a história. Mas, quando falamos de mulheres na área da ciência, poucas (ou quase nenhuma) são lembradas.

Para desmitificar que a área da ciência é exclusivamente masculina, conheça cinco mulheres que fizeram história em suas atuações científicas. 

 

Ada Lovelace: Matemática / ProgramaçãoAda Lovelace Sompo Seguros.jpg

Ada Augusta King, antes de se tornar a Condessa de Lovelace (Byron, 10 de dezembro de 1815 — 27 de novembro de 1852), foi uma matemática e escritora inglesa. Ada é reconhecida por ter escrito o primeiro algoritmo para ser processado por uma máquina, a Máquina Analítica de Charles Babbage. Durante o período em que esteve envolvida com o projeto de Babbage, Ada Lovelace desenvolveu os algoritmos que permitiriam a máquina computar os valores de funções matemáticas. Por esse trabalho, Ada Lovelace é considerada a primeira programadora de toda a história.

 

Nise da Silveira: Medicina (Psiquiatria) Nise da Silveira.jpg

Nise da Silveira (Maceió, 15 de fevereiro de 1905 — Rio de Janeiro, 30 de outubro de 1999) foi uma renomada médica psiquiatra brasileira. Aluna de Carl Jung, Nise dedicou sua vida à psiquiatria e manifestou-se radicalmente contra às formas agressivas de tratamento realizado às pessoas com transtornos mentais de sua época, tais como o confinamento em hospitais psiquiátricos, eletrochoque e lobotomia. Após 18 meses na prisão durante a Intentona Comunista, sua luta ganhou força através das Seções Terapêuticas Ocupacionais, onde utilizava a arte como forma de terapia. Seu trabalho e ideias inspiraram a criação de museus, centros culturais e instituições terapêuticas. Nise também é a fundadora da Sociedade Internacional de Expressão Psicopatológica ("Societé Internationale de Psychopathologie de l'Expression"), sediada em Paris.

 

Marie Curie: Química e Física Marie Cure.jpg

Marie Skłodowska Curie (Varsóvia, 7 de novembro de 1867 — Passy, Sallanches, 4 de julho de 1934) foi a primeira mulher ganhadora do Prêmio Nobel. Aliás, ela recebeu o Prêmio Nobel duas vezes: na área de Física (1903) e na área de Química (1911). Algumas das conquistas de Marie incluem a teoria da radioatividade (termo que ela mesma cunhou), técnicas para isolar isótopos radioativos e a descoberta de dois elementos, o polônio e o rádio. Sob a direção dela foram conduzidos os primeiros estudos sobre o tratamento de neoplasmas com o uso de isótopos radioativos. A cientista fundou os Institutos Curie em Paris e Varsóvia, que até hoje são grandes centros de pesquisa médica.

Jane Goodall: Biologia e Antropologia Jane Goodall.jpg

Valerie Jane Morris Goodall (Londres, 3 de abril de 1934) é uma primatóloga, etóloga e antropóloga britânica. Considerada a maior especialista do mundo em chimpanzés, Goodall é mais conhecido por seu estudo de 55 anos sobre interações sociais e familiares desses animais na Tanzânia. Ela é a fundadora do Jane Goodall Institute e do programa Roots & Shoots, e tem trabalhado extensivamente em questões de conservação e bem-estar animal. Ela atuou no conselho de administração do Nonhuman Rights Project desde sua fundação, em 1996. Prestes a completar 83 anos, Goodall continua atuando em suas atividades.

 

Johanna Döbereiner: Ciências Agrárias / Microbiologia do Solo. Johanna Doberainer.jpg

Johanna Liesbeth Kubelka Döbereiner (Aussig, 28 de novembro de 1924 — Seropédica, 5 de outubro de 2000), radicalizada brasileira, foi uma importante cientista nas áreas de ciências agrárias, microbiologia do solo e bacteriologia. As pesquisas elaboradas por Johanna foram fundamentais para que o Brasil começasse a produzir o Proalcool, tornando o segundo maior produtor do mundo. Outro ponto importante de suas pesquisas refere-se à fixação biológica do nitrogênio, permitindo que milhares de pessoas consumissem alimentos mais baratos e saudáveis, o que lhe valeu a indicação ao Prêmio Nobel em 1997.

Compartilhe:

Para mais informações, navegue pelas editorias ao lado.