Depressão é a maior causa de doenças e invalidez no mundo

Em março de 2017, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou um relatório onde consta o aumento da depressão nos últimos 12 anos. Atualmente, o número registrado de pessoas com essa doença ultrapassa os 300 milhões, 18% de aumento em comparação ao ano de 2005.

Segundo a Diretora-Geral da OMS, Margaret Chan, esse aumento nos casos de depressão serve para que a sociedade repense suas abordagens para a saúde mental e a tratem com a urgência que ela merece. A depressão aumenta o risco de várias doenças e transtornos graves, como vício, comportamento suicida, diabetes e doenças cardíacas, que em si mesmas são algumas das maiores causas de mortalidade.

Por isso, a Organização Mundial da Saúde lançou a campanha "Depressão: Vamos Conversar”, para reduzir a falta de apoio à saúde mental, combinada ao temor comum da estigmatização, faz com que muitos não recebam o tratamento que precisam para viver de maneira saudável e produtiva.

 

Diagnóstico e Tratamento

A depressão é uma doença em que ocorrem desequilíbrios químicos dos chamados neurotransmissores. Essas substâncias são responsáveis por transportar as informações pela rede de neurônios de nosso cérebro, incluindo as sensações de prazer, serenidade, disposição e bem-estar. Caso for uma destemia (depressão leve ou moderada), o especialista indicado é o psicoterapeuta. Já nos sintomas mais acentuados ou persistentes, o psiquiatra é o profissional quem acompanhará o desenvolvimento da doença.

Procure um especialista caso suspeite que esteja com depressão. Cuidar da doença em seu estágio inicial é o primeiro passo para alcançar a tranquilidade mental e evitar outros males para a sua saúde.

Compartilhe:

Para mais informações, navegue pelas editorias ao lado.